Picos da Europa -2

posted in: Sem categoria | 0

 

Olá amigos.

Hoje, tal como prometido, continuo a nossa viagem pelos Picos da Europa fazendo referencia a mais alguns locais interessantes para fotografar.

No post anterior andámos pela zona oeste do Parque Natural, pelo que hoje vamos fazer o percurso de oeste para leste através de uma das estradas mais bonitas e fotogénicas desta região. Refiro-me à estrada AS114 que liga Cangas de Oñis a Panes.

A estrada AS-114, foi construída ao longo de um vale onde corre o Rio Casaño e é sempre acompanhada, de um lado e outro, pelas encostas das montanhas. Percorrida de manhã, num dia de Sol, permite que a luz lateral do Sol realce os contornos e as reentrâncias das encostas, permitindo fotografar as montanhas com um realce que parece em 3D.

Também muito interessante, para quem tenha tempo, é parar numa das várias pontes da estrada que vão atravessando o rio, e fazer umas fotos de longa exposição do rio (não esquecer o tripé !).

A cerca de 30 Km, vindo de Cangas de Oñis, vale a pena fazer um desvio para a localidade da Asiego para visitar o Miradouro Pedro Udaondo. Deste ponto alto tem-se uma vista magnífica para os vários Picos deste Parque Natural. Com um pouco de sorte, conseguimos fotografar os picos a rasgar as nuvens o que, numa foto panorâmica, nos dá uma imagem fabulosa da grandeza e beleza deste local.

 

Regressando de novo à estrada AS-114, um pouco mais à frente, encontramos o Miradouro del Naranjo de Bulnes onde é possível fotografar ao longe um dos picos mais altos e mais famosos dos Picos da Europa, o  Pico Urriellu, ou Naranjo de Bulnes. Normalmente coberto de nuvens em dias mais nublados, é necessário ter alguma paciência para o fotografar quando rasga as nuvens mas, com paciência e uma boa lente zoom, consegue-se boas fotos.

Chegandos a Las Arenas, voltamos em direcção a Ponte de Poncebos, percorrendo uma estrada apertada entre escarpas das montanhas. Apesar de difícil, vale a pena parar o carro na berma e tentar fotografar o serpentear da estrada na grandeza destas paisagens.

Em Ponte de Poncebos, vale a pena fazer uns poucos de quilómetros por uma estada bastante sinuosa e ingreme até à localidade de  Camarmeña. Esta estrada não tem saída mas merece ir até ao cimo de onde deslumbramos excelentes vistas sobre os vales circundantes e, mais uma vez, sobre o Pico Urriellu. Aqui impõe-se umas fotos panorâmicas, assim como fotografar o contraste entre os picos elevados e os vales profundos.

           

Regressados a Ponte de Poncebos, estacionamos o carro e apanhamos o Funicular de Bulnes que nos leva à povoação do mesmo nome. Este funicular percorre um túnel no interior da montanha de mais de 2 Km e tem um desnível de mais de 400 metros. Chegados à estação superior do funicular, percorremos a pé uma vereda em terra até à povoação de Bulnes. O interessante e característico desta povoação é não ter acesso por estrada, sendo mantida através das mercadorias que lhe chegam pelo funicular.

Vale a pena passarmos algumas horas em Bulnes, onde podendo comer uma refeição nos bares que lá existem, e fazer algumas fotos onde jogamos com o posicionamento das casas no vale onde está Bulnes, encrostado entre as montanhas, assim como o curso de água que a atravessa. Do povoado saem algumas veredas, boas para caminheiros, que nos permitem ter múltiplos ângulos para fotos no interior da montanha.

Regressando de novo à estrada AS-114, e continuando a nossa rota em direcção a Este até Panes, aqui voltamos em direcção a Potes pela N-621. Mais ou menos a meio do trajecto entre Panes e Potes, vale a pena virar em direcção à Igreja Sta Maria Lebeña, junto da localidade de Lebeña.

Aqui, além das fotos da própria igreja, é interessante registar a relação da igreja com a montanha e, se for já ao fim da tarde, o efeito da luz do Sol nas montanhas circundantes.

Mais uma vez a minha recomendação é para ‘gastarem’ algum tempo em cada ponto que visitem pois aquela foto que mais gostamos não a conseguimos ‘ver’ logo que chegamos, temos de a procurar. Mais vale visitar menos coisas e apreciar o que vimos, do que andar a fazer quilómetros e passar pelos locais a correr deixando fugir boas oportunidades de fotografar.

E por hoje fico-me por aqui. No próximo post terminamos esta viagem pelos Picos da Europa. As fotos que ilustram este post foram todas feitas nas zonas referenciadas acima, e serve para dar uma pequena ideia do que é possível fazer.

Beijos e abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.